Lançamento da Associação Brasileira de Lawtechs e Legaltechs (AB2L) – capítulo Porto Alegre – e do Legal Hackers POA

Por: Cabanellos Advocacia em 14 de 05 de 2018

Um movimento que integra Direito e Tecnologia e se propõe a compartilhar conhecimento, dialogar e desenvolver políticas públicas em parceria com agentes sociais, criar um ambiente de colaboração em que a inovação digital seja uma aliada.  Sua essência acompanha as evoluções do nosso tempo e conecta com a visão de mundo que o Cabanellos Advocacia acredita e apoia. E ele tem tudo para ganhar o engajamento de pessoas, marcas e instituições, como foi percebido no evento “Ativação de Capítulos”, para o lançamento da Associação Brasileira de Lawtechs e Legaltechs -AB2L* (capítulo Porto Alegre) e do Legal Hackers POA**.


Realizado na Fundação Iberê Camargo, dia 10/5, com mais de 130 pessoas, tendo o escritório como seu patrocinador ouro e contando com sócio do Cabanellos Roberto Xavier Lopes entre os coordenadores da iniciativa, o evento também foi uma oportunidade para ouvir as palestras de Erik Fontenele Nybø, vice-presidente da AB2L, co-fundador da EDEVO e Legal Hackers SP, coordenador e professor da INSPER, e Vitor Palmela, diretor da INVENTA Internacional e professor da Universidade de Lisboa. 


Ambos trouxeram insights valiosos sobre as mudanças econômicas, políticas, comportamentais e nas relações de trabalho, em decorrência de tecnologias como big data, inteligência artificial, machine learning, internet das coisas (IoT), robótica. Esta, por sinal, recebeu uma explanação bastante dedicada de Vitor Palmela, trazendo reflexões interessantes sobre responsabilidade civil em relação a esse tipo de sistema.

*A AB2L foi criada por diversas lawtechs e legaltechs — empresas de tecnologia focadas no mercado jurídico – com o objetivo de criar um espaço de diálogo entre as empresas de tecnologia e os profissionais do Direito, incentivando boas práticas e contribuindo com esse momento de grandes transformações. Entre suas iniciativas recentes, reuniu, em abril, agentes do ecossistema jurídico brasileiro para conhecerem e criarem pontes com organizações referências em inovação, no Vale do Silício, na Califórnia.


**O Legal Hackers POA é um braço no Brasil do movimento Legal Hackers, iniciado em 2012, em Nova Iorque, formado por juristas, empresários, acadêmicos, agentes públicos e especialistas na área da tecnologia que se juntaram para pressionar o Congresso Norte-Americano a rejeitar algumas propostas legislativas que ameaçavam a liberdade na internet. A partir de então, esse grupo, que já conta hoje com mais de 80 capítulos no mundo, começou a promover encontros para debater os pontos de intersecção entre o Direito e a Tecnologia, contribuindo, em cada uma das cidades sede, para a construção de um ecossistema mais favorável à tecnologia e à inovação.